Dois exílios : Kroch entre a Alemanha e o Uruguai

O objetivo desta comunicaçao é apresentar alguns aspectos das memórias de Ernesto Kroch, judeu-alemao que sofreu duas vezes a experiência do exílio, a primeira, em virtude de sua resistência à Alemanha nacional-socialista, tendo se refugiado no Uruguai, e a segunda, em virtude da ditadura uruguaia,...

Descripción completa

Detalles Bibliográficos
Autor principal: Brepohl, Marion
Formato: Documento de conferencia publishedVersion
Lenguaje:Portugués
Publicado: Universidad Nacional de La Plata. Facultad de Humanidades y Ciencias de la Educación. Maestría en Historia y Memoria 2018
Materias:
Acceso en línea:https://www.memoria.fahce.unlp.edu.ar/trab_eventos/ev.10860/ev.10860.pdf
Aporte de:Memoria Académica - FaHCE (UNLP) de Universidad Nacional de La Plata Ver origen
Descripción
Sumario:O objetivo desta comunicaçao é apresentar alguns aspectos das memórias de Ernesto Kroch, judeu-alemao que sofreu duas vezes a experiência do exílio, a primeira, em virtude de sua resistência à Alemanha nacional-socialista, tendo se refugiado no Uruguai, e a segunda, em virtude da ditadura uruguaia, devido à sua militância de esquerda. Nesta segunda vez, refugiou-se na Alemanha, sua pátria de origem, a qual deixou tao logo lhe foi possível retornar ao Uruguai. Como procurarei sugerir, seu refúgio mais seguro acabou sendo a militância política, a que se dedicou até o final de sua vida.