Eter, espírito animal e causalidade no Siris de George Berkeley : Uma visao imaterialista da analogia entre macrocosmo e microcosmo

A obra de Berkeley se desenvolveu como uma refutação do ceticismo e do ateísmo nos quais via uma ameaça à filosofia. No entanto, os seus interesses intelectuais não se limitaram a isso. Os temas científicos também integravam a agenda berkeleiana, nas diferentes obras onde se adverte que a metafísica...

Descripción completa

Detalles Bibliográficos
Autor principal: Manzo, Silvia Alejandra
Formato: Articulo
Lenguaje:Portugués
Publicado: 2004
Materias:
Acceso en línea:http://sedici.unlp.edu.ar/handle/10915/89828
http://www.memoria.fahce.unlp.edu.ar/library?a=d&c=arti&d=Jpr10040
http://www.revistas.usp.br/ss/article/view/11001
Aporte de:SEDICI (UNLP) de Universidad Nacional de La Plata Ver origen
Descripción
Sumario:A obra de Berkeley se desenvolveu como uma refutação do ceticismo e do ateísmo nos quais via uma ameaça à filosofia. No entanto, os seus interesses intelectuais não se limitaram a isso. Os temas científicos também integravam a agenda berkeleiana, nas diferentes obras onde se adverte que a metafísica penetra todos os rincões de sua especulação sobre a ciência. No Siris, uma obra peculiar dentro do corpus berkeleiano, as reflexões acerca do mundo natural são apresentadas em franca conexão com uma concepção metafísica geral. Berkeley desdobra ali uma visão da natureza próxima do neoplatonismo e do estoicismo, que culmina com um hino à filosofia antiga e neoplatônica. Nesse quadro são abordados diferentes aspectos filosóficos e científicos, entre outros, a analogia entre microcosmo e macrocosmo, que se apresenta como uma realidade indiscutível. Berkeley entende que esse vínculo entre o homem e o mundo é possível mediante o éter, uma entidade à qual confere características muito especiais. O objetivo deste trabalho é expor a maneira como Berkeley concebe essa analogia partindo da tradição filosófica e das teorias científicas de seu tempo e ligando-a à imagem moderna do mundo.