O lugar social da leitura: análise crítica de uma crônica jornalística

O objetivo deste artigo é analisar a construção da representação social de um guardador de carros em uma crônica jornalística veiculada pelo jornal A Gazeta, à luz do aparato teórico e metodológico da Análise Crítica do Discurso (ACD), de van Dijk (2003, 2010), e dos estudos sobre letramento de Klei...

Descripción completa

Guardado en:
Detalles Bibliográficos
Autores principales: Tomazi, Micheline Mattedi, Natale, Raquelli
Formato: Artículo publishedVersion Artigo Avaliado pelos Pares Revisão de Literatura
Lenguaje:Portugués
Publicado: Universidade Estadual de Londrina 2014
Materias:
Acceso en línea:http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/entretextos/article/view/16563
http://biblioteca.clacso.edu.ar/gsdl/cgi-bin/library.cgi?a=d&c=br/br-038&d=article16563oai
Aporte de:
Descripción
Sumario:O objetivo deste artigo é analisar a construção da representação social de um guardador de carros em uma crônica jornalística veiculada pelo jornal A Gazeta, à luz do aparato teórico e metodológico da Análise Crítica do Discurso (ACD), de van Dijk (2003, 2010), e dos estudos sobre letramento de Kleiman (2008), Martins (2004) e Gnerre (1991). Partimos do pressuposto de que o texto jornalístico, construído a partir da estratégia de polarização global e das escolhas lexicais atua na reprodução e disseminação de uma ideologia grafocêntrica em nossa sociedade. Os resultados da análise evidenciam que a crônica jornalística, como prática discursiva e ideológica, atua na reprodução das ideologias das elites simbólicas, provocando uma crença comum que com o tempo se naturaliza e se transforma numa verdade hegemônica sobre o lugar do flanelinha em nossa sociedade.